O governo federal pretende desobstruir a fila do INSS até dezembro

0

Será que o governo conseguirá desobstruir a fila do INSS desta vez? A meta anteriormente definida para julho agora foi fixada para dezembro de 2022.

Ligar a fila do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) até dezembro deste ano parece uma meta ambiciosa. mais de 1,6 milhão de pessoas ainda aguardam a aprovação do pedido. No entanto, esse é o novo esforço que o INSS anunciou em pronunciamento na Câmara dos Deputados.

Sendo assim o compromisso foi assumido e reenvidicado pelo presidente do INSS, Guilherme Serrano. Segundo ele, o valor em questão refere-se apenas ao pedido inicial de benefícios, ou seja, não inclui pedidos de verificação.

Zerar a fila do INSS

Conforme publicado pelo INSS, em pelo menos 500.000 segurados na Linha Longa são pessoas com deficiência que solicitam o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O processo de liberação deste benefício pode demorar ainda mais, pois exige uma análise em três etapas: administrativa, social e médica . Os interessados ​​no BPC devem apresentar laudos e exames médicos que comprovem as restrições.

Vale lembrar também que a greve dos trabalhadores do INSS, que terminou em 20 de maio deste ano, tornou ainda mais longa a espera por essas pessoas. Um dos motivos da contratação é a exigência de mais concursos públicos para completar o quadro de funcionários para que a demanda total possa ser atendida.

A propósito deste encargo, o ministro do Trabalho e Assuntos Sociais, José Carlos Oliveira, defendeu a realização de um novo concurso ainda este ano. Garante cerca de mil vagas para o INSS.

Desafio INSS

O desafio de limpar a fila do INSS não é novidade. O instituto encerrou 2021 com cerca de 1,8 milhão de brasileiros aguardando pensão, pensão e outros auxílios para serem analisados.

A justificativa do INSS desde então tem sido a falta de servidores públicos para gerir os Processos para analisar a cessação da perícia durante o período mais crítico da pandemia de COVID-19.

Em acordo homologado com o Supremo Tribunal Federal (STF), o INSS se comprometeu a analisar os processos no prazo máximo de 90 dias, bem como realizar e avaliações assistenciais em até 45 dias, mas em até 90 dias em locais de difícil acesso.

Em novembro passado, quando José Carlos Oliveira assumiu a presidência do INSS, prometeu completar a linha até julho deste ano, mas Oliveira deixou o cargo em abril, então terminar a linha no INSS continua sendo uma meta até hoje.

Veja também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.