Aposentados poderão receber 14º Salário do INSS ainda em Outubro?

0

O Instituto Estadual do Seguro Social (INSS) pode pagar o chamado 14º salário para quem recebe seguro-velhice e pensão. O benefício extraordinário foi instituído pela Lei 4.367/20 há dois anos. Desde então, cresceu a expectativa de quando esse dinheiro será lançado oficialmente.

🚨 URGENTE! Entre para nosso Grupo do WhatsApp de notícias e concorra a até R$1.000,00 todo mês pago no seu PIX!

ENTRAR NO GRUPO DO WHATSAPP

A intenção era emiti-lo em meio à pandemia de Covid-19 como forma de auxílio a um grupo de segurados. Muitos acabaram perdendo até mesmo os pagamentos da previdência, como o auxílio emergencial. O projeto previa o pagamento a cerca de 30 milhões de cidadãos.

Diante de impasses no evento, muitas pessoas ainda se perguntam quando acontecerá o lançamento. Saiba como o projeto continua abaixo!

O que é o 14º salário para aposentados e pensionistas?

Criado pelo deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), se aprovado, o 14º salário do INSS pode pagar aos beneficiários até dois salários mínimos. Nesse caso, o valor dependeria de quanto cada pessoa recebe em seu contracheque.

Veja exemplo: se o segurado receber o salário mínimo, o benefício seria igual a esse valor. Por outro lado, para quem recebesse mais do que o mínimo nacional e alcançasse o teto do INSS (atualmente R$ 7.087,22), a sobretaxa seria a diferença entre o valor que a pessoa recebe na folha de pagamento e o valor máximo pago pelo município.

No entanto, a regra diz que o valor não pode ultrapassar R$ 2.424, o que equivale a dois salários mínimos de R$ 1.212 em 2022.

Leia também:

Quem pode receber o 14º Salário dos Aposentados e Pensionistas?

De acordo com o projeto, os seguintes grupos de segurados têm direito aos benefícios: os que recebem pensão, velhice e outros auxílios como auxílio-doença e auxílio-desemprego. Excluem-se dos pagamentos aqueles que recebem os benefícios de Pagamento Contínuo (BPC) e Renda Mensal Vitalícia (RMV).

O 14º salário foi inicialmente proposto para ser pago em 2020 a 2021, considerado o mais crítico da pandemia de Covid-19. À medida que o número de processos diminuía, a movimentação do projeto diminuía, o que ocasionou sua estagnação na Câmara dos Deputados.

No momento, aguarda-se votação na comissão especial que discutirá o projeto. A solicitação surgiu após a necessidade de analisar o impacto que o projeto pode ter nos cofres públicos.

Com isso em mente, ainda não se fala em aprovar o projeto em outubro, que ainda não tem data definida para nenhum pagamento em 2022.

Sua assinatura não pôde ser validada.
Você fez sua assinatura com sucesso.

Receba em primeira mão!

Seja o primeiro a receber as notícias mais relevantes do dia para você. Inscreva-se abaixo:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.